Nos dias 04 a 06 de Setembro do corrente ano, Moçambique recebeu a visita do Sumo Pontífice da Igreja Católica, Papa Francisco. Visita esta que            constitui um momento histórico para o continente Africano no geral e Moçambique em particular.

A Universidade Católica de Moçambique (UCM) não ficou de fora deste momento impar, fez-se presente com os seus peregrinos compostos por funcionários e estudantes de todas as Faculdades da UCM que juntos participaram do encontro inter-religioso do Papa com os jovens de várias congregações religiosas e não só na celebração eucarística.

No encontro dos jovens com o Papa no Pavilhão do Maxaquene, foram demostradas várias mensagens e actuações de diferentes confissões religiosas. Na sua mensagem o Papa Francisco falou da importância dos jovens na sociedade, dizendo: “vocês não são só o futuro de Moçambique, da igreja e da humanidade, mas vocês são o presente de Moçambique” e disse ainda que os jovens devem sorrir dançar, mesmo no meio de tantas adversidades da vida e devem sempre manter-se alegres tendo enaltecido também a importância de os jovens cuidarem dos idosos. A este respeito o sucessor de Pedro disse que “Os Idosos são as nossas raízes e por isso devem cuidar deles”

Foi um momento emocionante para a camada juvenil, em especialmente para os jovens da Universidade Católica que se sentiram bastante motivados com as palavras de conforto ditas pelo Papa Francisco.

No último dia do Papa em Moçambique, foi de uma celebração eucarística no Estádio Nacional do Zimpeto, a qual reuniu milhares de crentes de diferentes pontos do País e do Mundo. A Universidade Católica de Moçambique também se fez presente com os seus peregrinos, que participaram na missa Papal, na qual, na sua homilia, o Papa Francisco enalteceu a solidariedade entre os irmãos e lamentou pelo facto de o País possuir muita riqueza natural e cultural, mas que, apesar destas riquezas, uma quantidade enorme da população está a viver abaixo do nível de pobreza.

Debaixo de uma chuva persistente e do frio intenso as cerca de 90 mil pessoas presentes no estádio viveram momentos de graça e de euforia desde as primeiras horas do dia até ao final da missa.                                                    

Por: Júlia Lindonde