No dia 25 de Outubro e 22 de Novembro de 2019, a Faculdade de Ciências de Saúde da Universidade Católica de Moçambique realizou duas palestras de prevenção ao cancro de mama, denominado ‘’ Outubro Rosa’’ e o cancro da próstata, denominado” Novembro Azul”.

A palestra sobre o cancro da mama e colo de útero foi ministrada pela Dra. Jéssica Francelina Bambamba e a Dra. Ivete Zango, ambas médicas e formadas pela Universidade Católica de Moçambique, estando a exercer as suas funções no Centro de Saúde São Lucas.

A Dra. Ivete Zango iniciou por definir o cancro como sendo um nome dado a um grupo de doenças que surgem devido a uma multiplicação desordenada de células capazes de invadir tecidos e de espalhar-se para outras partes do corpo, tendo mencionado os vários tipos de cancro existentes, os sintomas, causas e seu tratamento.

Falando especificamente do cancro da mama, a Dra. Ivete Zango disse que o cancro é uma realidade no nosso País e em todo o mundo, e que toda mulher deve levantar a voz e dizer “Não ao cancro da mama”, fazendo um autoexame, dirigir-se a uma unidade sanitária mais próxima para fazer o rastreio. “Actualmente no nosso País são cerca de 1200 casos detectados com esta doença e atinge toda faixa etária”. - Disse a Dra. Ivete Zango.

O mesmo aconteceu com o colo de útero, que foi explanado pela Dra. Jéssica Francelina Bambamba, a qual explicou que a doença demora muitos anos para se desenvolver. Nisso, houve muitos exemplos de casos práticos para ilustrar como se manifesta a doença. Num debate de quase meia hora, as mulheres apresentaram suas dúvidas e contaram experiencias de familiares que padecem desta doença.

No dia 22 de Novembro foi a vez da palestra do cancro da Próstata, ministrado pelo Dr. Abilito Pintainho, também médico no Centro de Saúde São Lucas da UCM.

Dr. Abilito Pintainho disse que o cancro normalmente desenvolve-se nos homens a partir dos 40 anos de idade. Mencionou as suas causas, sintomas e tratamento. Deu exemplos práticos de como essa doença se manifesta. E por fim, aconselhou aos homens a fazerem o autoexame e a recorrer a Unidade Sanitária para fazer o rastreio.

Estiveram presente nas duas palestras funcionários da Universidade Católica de Moçambique.

Matilde de Assunção Arnaça (Relações Públicas)