Terça-feira · 22 Agosto 2017
Futuros Estudantes
Estudantes
Académicos
Funcionários
Graduados

Faculdade de Economia e Gestão (FEG), Beira | 16.03.2017

Faculdade de Economia e Gestão e Centro de Investigação Santo Agostinho da UCM, organiza debate nas comemorações do dia Internacional da Mulher.

Faculdade de Economia e Gestão e Centro de Investigação Santo Agostinho da UCM, organiza debate nas comemorações do dia Internacional da Mulher.
A Faculdade de Economia e Gestão, e o Centro de Investigação Santo Agostinho (CISA), da Universidade Católica de Moçambique, na Cidade da Beira, organizou no passado dia 8 de março, debates sobre a Mulher em comemoração do dia Internacional da Mulher.
O evento teve como foco a Mulher Líder e contou, na abertura, com a intervenção da Prof.ª Doutora Natália Bolacha, que deu as boas vindas a todos e desejando um dia muito produtivo nos debates e acima de tudo um aprendizado que deve ficar nas vidas de todos. Para apresentar e debater os temas, foram convidadas três mulheres das diferentes unidades básicas da Universidade Católica de Moçambique, nomeadamente, Mela Ferrão, Fernanda José e Isménia Todo.
A oradora Mela Ferrão, do Centro de Ensino à Distância, trouxe a debate a queniana Wangari Muta Maathai com o tema “A Mulher que cuida da “Casa Comum”. Prémio Nobel da Paz, em 2004, pela sua “luta” na conservação ambiental e no encorajamento das mulheres pelos direitos democráticos.
A oradora Fernanda José, da Faculdade de Economia e Gestão, apresentou a liberiana Ellen Johnson Sirleaf com o tema “A Mulher que serve o seu povo”. Prémio Nobel da Paz, em 2011, reconhecida internacionalmente pelo seu empenho no apoio às mulheres e, na recuperação económico-social do seu país. Tendo sido a Primeira Mulher Africana a ser nomeada Presidente de um país.
Para finalizar, a oradora Isménia Todo, da Faculdade de Ciências da Saúde, apresentou a liberiana Leymah Gbowee com o tema “A Mulher que assume atitudes não violentas”. Prémio Nobel da Paz, em 2011, reconhecida pelas suas intervenções na garantia de direitos políticos para as mulheres e como activista na Segunda Guerra Civil.
Este encontro contou, ainda, com a presença das jovens da Fundação Girl Move, que deliciaram toda a plateia com uma representação mimica.
Em Moçambique, o dia Internacional da Mulher é vivido como um dia de muita alegria, festa e capulanas. No entanto, por detrás deste dia está uma história de lutas femininas por melhores condições de vida, melhores condições de trabalho e o direito ao voto. Sendo assim, este dia será sempre lembrado como o dia de CONQUISTAS SOCIAIS, CONQUISTAS POLÍTICAS e CONQUISTAS ECONÓMICAS das MULHERES.
Viva a Mulher Líder!

Facebook Google Digg LinkedIn Twitter
<< Ir a Notícias